Quinta das Bágeiras Garrafeira 2000

Característica diferenciadora: Baga & 15 anos

Preço: 40€

Onde: El Corte Inglés eventualmente

Nota pessoal: 18.5

Comentário:  Que dizer dum vinho com 15 anos que quando se deita no copo está literalmente preto e opaco? Não se diz nada. Arregalam-se os olhos! E agradece-se ao Universo o estarmos no mesmo sítio e na mesma hora que aquela garrafa se abriu.

Aromas fechados ainda balsâmicos, ligeiramente mentolados. Muito sério, com fruta escura, mas são as notas balsâmicas que predominam.
Na prova de boca é magnífico.
Muito denso, larguíssimo no alcance imediato e com o equilíbrio que só os grandes vinhos conseguem ter.
Ao contrário do que é comum actualmente na maioria dos vinhos, este vinho cresce em garrafa. Literalmente.
Aqui não há amaciados de barrica, nem massagem nos taninos… Não. Há que esperar pelo tempo certo. Mas quando o tempo chega, é inalcançavel através de “festinhas” como actualmente se faz. E a Baga presta-se como poucas castas a crescer com o tempo. Que vinho! É muito, muito, muito bom. É um vinho para qualquer mesa do mundo.
Para qualquer apreciador de vinhos, que saiba que vinho não é só o estilo contemporâneo com ares de sugus de fruta, ou laivos de caramelo e baunilha, doces, com Madeira a pontapé, e suculentos. A suculência deste Quinta das Bágeiras Garrafeira 2000 vem da qualidade genuína e do tempo, duma forma que do os dois conseguem produzir… Claramente no pódio dos vinhos do ano de viragem do século. Curiosamente, o outro é Baga também e o outro – no meu pódio, naturalmente – é Barca Velha. 
Um prazer.

Provador: Mr. Wolf

Recent Posts
Showing 2 comments
  • Flavio Henrique
    Responder

    Caro Mr. Wolf,
    Bom que voltou.
    Dias atrás bebi meu primeiro Quinta das Bágeiras, um Reserva 2010. Gostei muito! Agora quero conhecer os brancos. Adquiri um Garrafeira 2011 e um Pai Abel 2012, e estou curioso para bebê-los (apesar de achar que devem estar novos ainda, não?).
    Abraços,
    Flavio

  • Mr.Wolf
    Responder

    Caro Flávio,

    Boas estreias!! Nos tintos da Quinta das Bágeiras, a juventude é mais difícil… Nos brancos, é muito mais fácil de tolerar… Qualquer um deles permite cave sem receio, mas se os provar já vai deliciar-se também. São 2 excelentes exemplos de Brancos com muito carácter e elegância Portugueses! Eu experimentava o Pai Abel e dava mais uns 3-4 anos ao Garrafeira 🙂

Leave a Comment