Quinta de Roriz 1996

Característica diferenciadora: Elegância

Preço: 30€

Onde: Leilões eventualmente

Nota pessoal: 18

Comentário:  Que dizer? Um rótulo que um tem tanto de peculiar, um tanto rústico e um tanto de mítico. Desconhecido para muitos. Glorificado por alguns… Eu faço parte desses admiradores!
Nunca bebi um Quinta de Roriz que não fosse extraordinário… Não fosse o terroir mítico também… Mas para isso, e para os mais curiosos, remeto para o livro…Roriz, História de uma quinta no curacao do Douro, de Gaspar Martins Pereira (2011).

Este – voltando ao vinho –  de 1996 é o mais antigo que me lembro. Está em grande forma! Não é perfeito na cor, tão pouco no aroma. Tem as imperfeições que a idade nos grandes vinhos enaltece… e se perdoa. É maduro demais? Sim, é. É pouco opaco, e até um pouco turvo? É. É complexo nos aromas? É, mas diferente das complexidades contemporâneas. Este é genuinamente complexo… Imperfeito… Mas estrondosamente bom. Sabe a fruta. Não tem madeira. Tem taninos aguçados. Não é polido… Mas é – como diria o Jorge Jesus – “muita bom e com elevada nota artística!”.
Sim, é isso mesmo… Como os quadros em que o JJ não vê a mulher a chorar, mas a artista vê… É um clássico e do melhor que se fez no Douro nas duas ultimas décadas. 
Carregado de carácter, muitos aromas de fruta madura, cereja, ameixa macerada… Tênue na entrada, guloso, muita groselha no palato, fino e com final recheado de fruta…
Um bocadinho doce, mas muito suculento. 18 anos…
Provavelmente já foi mais grandioso, mas mantém uma simplicidade majestosa, apesar do seu berço de nobreza.
Adorei

Provador: Mr. Wolf

Recent Posts
Comments
  • Amândio Cupido
    Responder

    Eu conheço um sitio onde ainda há umas garrafas, mas não custam 30 euros…

Leave a Comment