Quinta da Bica Vinhas Velhas 2007

Característica: Elegância extrema…

Onde comprar: garrafeiras especializadas

Preço: 10€…

Classificação pessoal: 17,5

Comentário: Nem sei por onde começar… Tal é o regojizo com a abertura da garrafa e os aromas que emanam do interior da garrafa. Mistura de carne com fumeiro… Mas fumeiro do bom!

Cor rubi escura, tensa e limpa. Rosa morango escuro. Extremamente limpo e escuro, sem ser denso. Brilhante. Os aromas revestem-se de magnetismo e mistério. Qual poção… Notas calcárias… terrosas… mas vivas a fazerem lembrar também carne crua.  Irrita que também tem aromas florais a fazer lembrar pétalas de rosa. Há claramente uma luta de concentração e protagonistas. Avizinha-se algo duro e vincado. Prova de boca… E cai o queixo! Elegância no seu expoente máximo! Muito carácter, elevada persistência, mineralidade a pontapé, pouca expressão de fruta apesar de presente, fruta silvestre e ainda verde como se quer… 2007… Mas para onde é que isto vai? Vai para melhor de certeza, o que faz crescer água na boca, que já de si está a salivar… Precisa… Não, correcção… Estou inquieto por colocar o vinho a respirar… Espera-se. Enche-se o copo… Aguarda-se enquanto o namoramos com o nariz. Morangos. Pouco maduros, ou melhor quase maduros, mas morangos. E como explicar o quase picante da especiaria? Não sei. Cítrico e especiaria agora embebido em iogurte… Mas esete vinho é recente? É!!!! 2007.

Barrica a ampliar muito bem a substância deste vinho. Essência. Seca a ponta da língua e salga as antecâmaras da boca. Vegetal e herbáceo como se fosse um (excelente) branco. Bolas… O que é isto?? Agora tenho a boca como se comesse papaia, apesar de cítrico e com cereal. Epá… Mas que vinho que tanto se transforma! E sempre num registo de elegância, borderline com carácter vincado, mas muito, muito bom! Tenho muita dificuldade de explicar a salinidade quase atlântica deste vinho… Compreendo o magnífico trabalho da barrica aqui. Não consigo explicar a fruta… De tamanha elegância que apetece sempre beber mais. Tem uma ligeira baunilha que até permitimos que amacie tudo isto, o que é raro. No fim, perpetua-se o carácter vegetal. A linha mais difícil dos tintos a par com a acidez. E sabem uma coisa? O vinho está novo para ser bebido… e este é um grande elogio a este pré-adolescente. É comprar todas as que encontrarem porque até 15€ não há nada parecido e que se compare em Portugal. E pelo que conheço, mesmo para outros patamares de preço, com 9 anos, conheci muito poucos com tanta complexidade e jovialidade. Grande, grande, grande vinho.

Recent Posts

Leave a Comment